O ano cristão

Secretaria de Música e Liturgia
Tipografia

A Igreja possui um calendário próprio. Para este calendário, existem momentos e datas especiais. Algumas, são datas bíblicas, outras são datas da história da denominação ou comunidade local. É o que se chama de Ano Litúrgico, Ano Cristão ou Ano Eclesiástico. Vamos procurar compreender o porquê deste calendário e conhecê-lo melhor.

O domingo

O domingo é o dia de culto por excelência. Os cristãos reúnem-se no primeiro dia da semana desde os primórdios do cristianismo: No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão (Atos 20.7). Não por acaso os cristãos reúnem-se neste dia: é o dia da ressurreição do Senhor. Porém, desde a antiguidade, a Igreja atribui a certos domingos (e as semanas por eles iniciadas) o que ALLMEN, 2006 (p.226) chama de uma coloração especial, uma intenção memorial específica.

Festas anuais

É difícil marcar uma data de início do uso de festas e celebrações anuais no cristianismo. ALLMEN aponta para o século II, valendo-se da afirmação de K. Holl de que os primeiros cristãos não calculavam em ano, mas em semana, tamanha a expectativa da volta de Cristo para eles. Assim, podemos, por consenso histórico, firmar no século II o início de festividades anuais do cristianismo. Porém não podemos nos esquecer que os apóstolos fazem menção da celebração da Páscoa e do Pentecostes em seus relatos e que, creio eu, não eram celebrados com ênfase judaica, mas sim com ênfase cristã. Mas isto não nos dá uma dimensão de um ano litúrgico, mas sim de duas datas comemorativas da Igreja nascente. O ponto de partida do ano litúrgico foi a Páscoa. Com ela instituíram-se as datas e celebrações que são o centro da vida cristã. Antes da Páscoa instituiu-se a Quaresma, o período de quarenta dias de preparação para a Páscoa. Também surgiu a Semana Santa, o período de uma semana onde se revivem os últimos dias de Jesus antes da crucificação. E em seguida ao domingo de Páscoa, os cinquenta dias de festas até a celebração do Pentecostes. Está formado, portanto, o ano litúrgico: Quaresma – Páscoa – Pentecostes.

O dia da Páscoa

A Páscoa é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua cheia que ocorre depois do equinócio da primavera (no hemisfério norte, outono no hemisfério sul), ou seja, é equivalente à ao primeiro Domingo após o 14º dia do mês lunar de Nisã, ou Abibe, conforme Deuteronômio 16.1. Em nosso calendário atual, poderá ocorrer entre 22 de março e 25 de Abril.

O dia de Natal

Mas, e o Natal? Até o século IV não se tem notícia de que a Igreja celebrasse o nascimento de Jesus. Quando se decidiu celebrar o nascimento de Jesus, não se tinha uma segurança de quando teria sido e como se fixaria esta data. Decidiu-se por fixar uma data próxima ao solstício de inverno (do latim sol + sistere, que não se mexe; é o momento em que o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador) no hemisfério norte. Notem que a Igreja, na época em que fixou a data, não ousou fixá-la num domingo, sendo uma das únicas não celebradas no primeiro dia da semana, mas sim, tendo data fixa. Tal como a Páscoa, ao Natal instituíram-se datas e celebrações, como o Advento, período de preparação para o Natal, e a Epifania, que marca o fim das festividades natalinas. Temos então o calendário completo: Advento – Natal – Tempo Comum – Quaresma – Páscoa – Pentecostes – Tempo Comum.

Quero incentivar você a adotar o calendário litúrgico em sua igreja por dois motivos. O primeiro é a riqueza histórica de passar por todos os episódios da vida de Jesus ao longo do ano. Você lerá, por meio do Lecionário, as principais passagens da vida do Mestre. O segundo é a centralidade de Cristo na vida da Igreja. O calendário gira em torno de Jesus e você poderá, com sua Igreja, rememorar momentos como Nascimento de Jesus, Epifania, Batismo do Senhor, Transfiguração do Senhor, Entrada de Jesus em Jerusalém, Última Ceia, Morte de Jesus, Ressurreição, Ascensão do Senhor, Pentecostes, Trindade e celebrar Cristo, o Rei do Universo.

Você pode ter acesso às leituras e cores litúrgicas no Manual do Culto da IPI do Brasil ou na Agenda 2017 da IPI do Brasil, ambos podem ser adquiridos no site da Pendão Real.

 

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Secretário de Música e Liturgia de IPIB
Pastor da IPI de Araraquara, SP
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.