Encontro com a Vida

Secretaria de Diaconia
Tipografia

Era domingo e tudo parecia igual, o barulho das ruas, as crianças acordando nas casas, as mulheres preparando a primeira refeição do dia... e o luto na casa de Maria. Assim como é correto afirmar que o sol levanta todas as manhãs, é verdadeiro dizer: todos dias têm luto na casa de alguém, pois tão certo quanto a vida é a morte. Tudo que nasce morre.

 

O grande autor nordestino, Ariano Suassuna, em sua obra, o “Alto da Compadecida”, ao falar sobre a morte, coloca na boca de um dos seus personagens o seguinte conceito: “Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre”.
 

A morte entrou no mundo pelo pecado do homem, pela sua desobediência ao Criador e tornou-se uma sentença que não poderia ser revogada por Adão ou pelos descendentes, contudo, o Pai enviou alguém, um novo homem, para obedecê-Lo e livrar a humanidade do “mal irremediável”.

Jesus é o homem perfeito, aquele que foi prometido para pisar a cabeça da serpente (o Mal) e predestinado para cumprir integralmente a vontade do Pai, tornando-Se assim o sacrifício perfeito no altar do Criador. O Deus Conosco, Emanuel, na sua morte garante a humanidade o pagamento da “fiança” que não poderia ser liquidada por mais ninguém, pois só o perfeito seria capaz de realizar a missão dada pelo Pai. E, ao pagar a conta na cruz venceu o Mal, garantindo a todos os “filhos de Adão” uma nova oportunidade de vida eterna. Jesus abriu a porta da morada eterna e preparou lugar para todos que estiverem nEle.

A ressurreição do Escolhido de Deus é o milagre da vida renovado para todos e todas, é a libertação de uma sentença de morte eterna. Neste domingo não olhe em derredor e veja tudo igual, escute nas ruas, há um som diferente, há gritos de júbilo e uma multidão grita: Ele ressuscitou. Some-se aos que manifestam a felicidade do encontro com a vida, Jesus, o Cristo de Deus.

 

Feliz Páscoa!

 
Ana Isaura Lima de Souza
Secretária Nacional de Diaconia