Oração e bênção

Devocionais
Tipografia

Então, disse Salomão: O SENHOR declarou que habitaria em nuvem espessa!Edifiquei uma casa para tua morada, lugar para a tua eterna habitação. (2 Crônicas 6.1-2)

 

Salomão havia construído um templo para servir de morada ao Senhor e trouxe para ele a Arca da Aliança, que era símbolo da lei e da presença de Deus entre o povo. Ao se dirigir à Deus, Salomão colocava-se de joelhos, ao se dirigir ao povo, abençoava-os colocando-se de pé. A atitude de Salomão era o reconhecimento de que ele, como rei, não era senão instrumento de Deus para abençoar o povo do próprio Deus.

Deitado, de joelhos, sentado ou de pé, não importa a posição, mas sim que a oração não seja mero ritual em sua vida, mas sim ao meio pelo qual Deus transforma a nossa vida. É o que afirmou, certa vez, o filósofo e teólogo dinamarquês Soren Kierkegaard: “A função da oração não é influenciar Deus, mas especialmente mudar a natureza daquele que ora”.

Ao orar, não o faça como vã repetição ou um ritual religioso, ore de coração e alma, ore sinceramente, pedindo e agradecendo a Deus, que nos abençoa abundantemente e não nos desampara. Assim como derramou bênção sobre Salomão e seu povo, Deus está com as mãos estendidas para nos abençoar e nos conduzir pelo novo e vivo caminho, o seu santo caminho.

Oração: Deus, segure minha mão e conduz-me pelo novo e vivo caminho. Em nome de Jesus, amém.

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Araraquara, SP
Secretário de Música e Liturgia da IPIB