O perdão entre irmãos

Devocionais
Tipografia

E orou Jacó: Deus de meu pai Abraão e Deus de meu pai Isaque, ó SENHOR, que me disseste: Torna à tua terra e à tua parentela, e te farei bem (Gênesis 32.9)

Jacó e Esaú, dois irmãos, haviam se separado e desentendido. As raízes dessa briga remontam ao direito de primogenitura que Jacó tomara de Esaú. Eles haviam se separado e, por conta de suas brigas, não se falavam há tempos. Agora, Jacó caminhava ao encontro de seu irmão, para reconciliar-se com ele. Em sua oração, ele apropria-se da promessa de Deus de que sua descendência seria próspera e, confiado nesta promessa, vai ao encontro de seu irmão.

Problemas e brigas em família tiram-nos a paz. O exemplo de reconciliação de Jacó e Esaú deve nos motivar a reconciliar nossos relacionamentos familiares. Deus nos garante a paz necessária e a presença de seu Santo Espírito para que, com sabedoria e amor, perdoemos e nos reconciliemos com nossos familiares. Ele é o Deus de nossa família, não devemos carregar mágoas e desavenças anos a fio. O perdão é possível em nossas famílias.

Da mesma forma, o perdão é possível em nossa família da fé. Pessoas com quem nos desentendemos e nos afastamos e que hoje devemos nos aproximar, confiados no perdão de Deus e prontos a reconstruir os laços. Ao orarmos, confiemos a Deus nossos relacionamentos, certos de que ele transforma a realidade de nossas famílias.

Oração: Deus, ensina-me a perdoar, sem restrição, sem exceções. Em nome de Jesus, amém.

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Araraquara, SP
Secretário de Música e Liturgia da IPIB