Não tardarás em trazer ofertas do melhor das tuas ceifas e das tuas vinhas; o primogênito de teus filhos me darás. Êxodo 22.29

O dízimo foi estabelecido como elemento de dedicação e ação de graças a Deus. Como tal, o povo de Deus deveria trazer seus primeiros frutos da colheita. O que era arrecadado sustentava o templo, suas famílias e empregados, e sustentava também as viúvas e órfãos que não tinham com o que se manter. Havia, portanto, uma função espiritual, de gratidão e reconhecimento de total dependência de Deus, e também uma função social, de sustento das famílias ligadas ao templo.

Separar o dízimo em primeiro lugar é colocar Deus em primeiro lugar. É mais que isso, é dedicar a ele o nosso melhor, e não as sobras de nossas vidas. O povo levava a primeira colheita para Deus, os primeiros frutos que colhiam com árduo trabalho. Quando recebemos nossos salários, nossos ganhos, devemos separar, em primeiro lugar, o dízimo para entregarmos ao Senhor como gratidão e reconhecimento de que ele é o Senhor de nossas vidas.

Oração: Deus, que eu me dedique em primeiro lugar a ti, na frente de tudo o que há, em nome de Jesus, amém.

 

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Araraquara, SP
Secretário de Música e Liturgia da IPIB

_

Participe você também do Devocional 2017 da IPI do Brasil, saiba mais clicando aqui. Acesse a seção de download do site e baixe as devocionais do mês todo.

Mais Artigos...