centenário john stott (1921-2021)

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

44.2021 - John Stott

Centenário de John Stott (1921-2021): “Ele abriu a porta”

Nesta semana, ocorreu o centenário de nascimento de John Robert Walmsley Stott, pastor e teólogo anglicano, nascido no dia 27 de abril de 1921.

Sobre sua própria experiência pessoal com Jesus Cristo e meditando sobre o texto bíblico que diz: “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo” (Ap 3.20), Stott escreveu:

“Aqui, então, é a questão crucial a que temos de chegar. Será que já abrimos a porta para Cristo? Será que já o convidamos a entrar? Essa foi exatamente a questão que eu coloquei para mim, visto que, intelectualmente falando, eu acreditei em Jesus durante toda a minha vida, mas do outro lado da porta. Eu sempre havia me esforçado em fazer as minhas orações pelo buraco da fechadura. Eu até tinha empurrado tostões por debaixo da porta em uma vã tentativa de acalmá-lo. Afinal, eu tinha sido batizado, costumava ir à igreja, chegava até a ler a Bíblia, tinha altos ideais e procurava ser bom e fazer o bem. Mas o tempo todo, muitas vezes sem perceber, eu segurava Cristo do lado de fora da porta. Eu sabia que, se abrisse a porta, sofreria consequências graves. Agora, porém, estou profundamente grato a Jesus por permitir-me abrir a porta. Olhando para trás em mais de 50 anos, percebo que o simples passo de abrir a porta mudou todo o curso de direção e de qualidade da minha vida”.

De fato, o ter aberto a porta para Jesus mudou, radicalmente, a vida de Stott. Tornou-se pastor de uma igreja anglicana no centro de Londres, onde atuou de 1950 a 1975. A seguir, na condição de emérito, dedicou-se a um ministério de evangelização de natureza ecumênica mundial, com as seguintes características:

  1. Pregação expositiva das Escrituras Sagradas;
  2. Centralidade da mensagem do evangelho na cruz e na conversão;
  3. Responsabilidade social do cristão no mundo.

Com tais características, foi um dos principais autores do Pacto de Lausanne (1974) que destacou que:

  1. A cooperação entre as igrejas na evangelização é melhor do que a competição;
  2. O evangelho não se limita à proclamação da Palavra, mas inclui a ação em favor da justiça;

Stott escreveu muitas obras e comentários bíblicos. Talvez a mais importante delas é “Cristianismo Básico”, publicada em 1979. Além desta, alguns de seus outros livros em português são os seguintes: “Por que sou cristão?”; “O que Cristo pensa da igreja”; “A mensagem de Atos”; Comentários aos textos bíblicos de Romanos, Gálatas, Efésios; etc.

Falecido no dia 27 de julho de 2011, com 90 anos de idade, Stott continua vivo e influente. Prova disso é a de que sua obra “Cristianismo Básico” já foi traduzida para mais de 60 idiomas tendo vendido mais de 2 milhões de exemplares.

Quando Stott faleceu, o famoso evangelista Billy Graham escreveu: “O mundo evangélico perdeu um de seus maiores porta-vozes e eu perdi um de meus amigos pessoais e conselheiros. Estou ansioso para vê-lo novamente quando eu for para Paraíso”.

Gerson Correia de Lacerda

CONTATO

Scroll Up