projeto maná

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

região nordeste

Desde que fomos convocados, cresceu em nós a alegria de poder servir. Servir àqueles e àquelas que, mais do que nunca, estão com as mãos estendidas em busca de alguém que possa ajudá-los.

As reuniões com o MASD da 1ª IPI de São Luís do Maranhão nos enchiam de esperança, pois, era possível ver em cada olhar a vivacidade de um grupo ávido por marcar a vida do próximo, “próximo” de vários cantos, das vielas, das praças, dos viadutos. Próximo sem endereço, sem documento, sem perspectiva. Roubaram-lhe os sonhos, a dignidade. Roubaram-lhe o direito de ser.

Ao saber dos valores, as mãos se uniram e entrelaçadas, foram ao trabalho, buscando preços, imaginando o momento. Chamaram pessoas e, como se o E. Santo tocasse, surgiu um time. Time de várias idades e pronto para ser as mãos de Deus na vida das Marias, dos Franciscos, dos Joãos, das Maras, das Patrícias, dos Joselitos…

O dia estava marcado, grupos criados, mensagens trocadas, ideias, receios, cuidados, mas palavras carregadas de esperança.

O dia que antecedeu, já foi marcado pela primeira alegria: tínhamos as cestas descarregadas, um preço maravilhoso, itens de primeira necessidade. As 238 cestas acondicionadas na igreja, na antessala do templo. Ali, no lugar sagrado, o ato sagrado de cuidar de vidas estava preparado.

No final de tudo, o gesto que consola e faz arder o coração de todos nós: um abraço apertado à cesta, como se fosse o tesouro que muda a vida. Os nossos olhos enchem de lágrimas. Lágrimas na alegria passageira que se faz eterna no espaço do tempo que se chama hoje.

Missão cumprida? Não, missão iniciada. Outros dias como esse virão. Estaremos prontos, seremos a nossa própria provocação. Vamos chamar outros e ouviremos as palavras de Jesus: “o que tens aí?” E responderemos, poucos pães e poucos peixes, de novo ouviremos do Mestre: “assentai a todos… então, surgirão muitas cestas, muitas quentinhas para que o nome do Senhor seja glorificado.

CONTATO

Scroll Up