Assembleias Ordinárias das Igrejas Locais 2021

assembleias ordinárias das igrejas locais 2021

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

assembleias ordinárias das igrejas locais 2021

São Paulo, 17 de fevereiro de 2021.

Para Sínodos, Presbitérios, Igrejas e Pastoras/es da IPIB

Ref. Assembleias ordinárias das igrejas locais em 2021

Prezados irmãos e irmãs em Cristo Jesus,
Considerando que:

1) O Art. 14 da Constituição da IPIB estabelece que:

“A Assembleia da igreja local reúne-se: I – ordinariamente, pelo menos uma vez por ano, para: a) ouvir o relatório do movimento financeiro da tesouraria e do movimento geral eclesiástico da igreja; b) nomear uma Comissão de Exame de Contas, fixando-lhe prazo para apresentação do devido parecer; c) julgar as contas do Conselho”;

2) A IPIB, por não se tratar de Associação Beneficente, está enquadrada no artigo 44 do Código Civil como Entidade Religiosa e, por esta razão, não está sujeita às mesmas regras das associações, o que a desobriga de prestação de contas a órgãos públicos;

3) A prestação de contas nas igrejas se deve a um compromisso de transparência da instituição com seus membros, garantido por seus documentos legais;

4) A pandemia da Covid – 19 apresenta uma situação excepcional, que já levou esta Comissão Executiva a suspender a realização das assembleias ordinárias das igrejas locais no ano de 2020;

5) A pandemia dá sinais de recrudescimento, estando várias regiões do Brasil enfrentando grandes desafios sanitários;

6) A pandemia tem se desenvolvido de maneiras diversas no vasto território brasileiro, com regiões em diferentes fases de reabertura ou fechamento;

7) Existem igrejas e regiões que ainda não conseguem realizar atividades presenciais;

8) Várias igrejas e regiões enfrentam dificuldades e limitações técnicas para realização de reuniões virtuais;

9) A realização de assembleias de igrejas locais em sistema híbrido, com parte presencial e parte em teleconferência, é muito complexa;

A Comissão Executiva da Assembleia Geral da IPIB decide flexibilizar a realização das Assembleias Ordinárias no ano de 2021 com os seguintes critérios:


1) Autorizar as igrejas que têm possibilidade de realizar reuniões presenciais a realizá-las;

2) Autorizar as igrejas que têm limitações para realizar reuniões presenciais a realizá-las de modo virtual, desde que tenham condições técnicas para isso;

3) Autorizar as igrejas que têm limitações para realizar reuniões presenciais e que, também, não tenham condições técnicas para realizá-las virtualmente a adiarem a realização das Assembleias Ordinárias para o ano de 2022, desde que notifiquem seus respectivos presbitérios para acompanhamento.

Pela Coroa Real do Salvador!

Gerson Correia de Lacerda
Secretário Geral da IPIB

Acompanhe outras notícias

CONTATO

Pastoral da Diretoria da Assembleia Geral

Pastoral da Diretoria da Assembleia Geral

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

Que tal uma rebelião contra a vacina?

Vivemos dias complicados.
Uma das complicações é a questão da vacina contra a Covid-19. Pessoas questionam se deve ou não ser obrigatória. Argumentam que cada um é dono do seu próprio corpo. Afirmam que a obrigatoriedade é um atentado à liberdade. Chegam até a propor uma revolta contra a obrigatoriedade da vacinação.
Para esclarecer essa questão, nada é mais importante do que um pouco de História.
No Brasil, já ocorreu uma rebelião contra a vacina. Foi há mais de um século. Mais precisamente entre os dias 10 e 16/11/1904.
Naquela época, o médico Oswaldo Cruz (1872-1917), ocupando o posto equivalente ao de ministro da Saúde, enfrentou o vírus da varíola. Com coragem e ousadia, e contando com o apoio do presidente Rodrigues Alves (o segundo civil a ocupar a presidência da República), Oswaldo Cruz determinou a vacinação obrigatória no dia 31/10/1904.
Políticos oportunistas, militares contrários a Rodrigues Alves e agitadores extremistas associaram-se numa campanha contra a vacinação obrigatória.
O resultado foi trágico! Eclodiu a rebelião contra a vacina! O centro do Rio de Janeiro, capital do Brasil, transformou-se numa praça de guerra!
Hoje, todos exaltam a figura de Oswaldo Cruz. Mas poucos se lembram que ele enfrentou cruel oposição ao levantar a bandeira da vacinação que salvou vidas e debelou doenças que levavam à morte.
Novamente, enfrentamos o mesmo problema enfrentado por Oswaldo Cruz.
Não podemos repetir o mesmo erro dos que se opuseram a ele em 1904.
Como Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, vamos apoiar e colaborar com a vacinação contra a Covid-19!
Rendamos graças a Deus por já dispormos de vacinas contra esse mal!
Somos todos a favor da vida, pois seguimos aquele que disse: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em plenitude”.

Acompanhe outras notícias

CONTATO

Manifestação COMEX-AG

Manifestação a respeito do pedido de impeachment do presidente da República

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

Manifestação a respeito do pedido de impeachment do presidente da República

Às irmãs e aos irmãos da IPIB,

A Comissão Executiva da Assembleia Geral (COMEX-AG), tendo em vista as inúmeras manifestações de membros de nossa amada igreja a respeito do pedido de impeachment do presidente da República Federativa do Brasil, esclarece que:

1) A IPIB é uma igreja da Tradição Reformada, que adota um sistema de governo em que suas decisões oficiais são tomadas pelo seu concílio mais elevado, que é a Assembleia Geral, a qual não tratou, em nenhum momento, do assunto em pauta. Portanto, a IPIB não tem nenhuma decisão sobre o referido documento.

2) A IPIB reconhece e defende o sistema democrático de direito, no qual todas as pessoas têm garantido o direito de manifestarem suas ideias, opiniões e posicionamentos. Membros da IPIB que assinaram o documento o fizeram no exercício desse direito. Portanto, a IPIB respeita a liberdade dos seus signatários como cidadãs e cidadãos brasileiros.

3) A IPIB, neste ano de 2021, tem como lema “Somos Família”. Como em toda e qualquer família, somos diferentes uns dos outros. Todavia, aquilo que nos une é muito mais forte do que aquilo que nos separa. Por isso mesmo, devemos nos respeitar uns aos outros, ainda que com divergências. Portanto, a IPIB busca apresentar ao mundo sua unidade, a fim de que o mundo creia (Jo 17.21).

São Paulo, 28 de janeiro de 2021

Acompanhe outras notícias

CONTATO

Recomendação da COMEX-AG

Recomendação da COMEX-AG

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

Recomendação da COMEX-AG

Considerando:

1) A decisão do Governo do Estado de São Paulo de que TODAS as regiões do Estado regressarão para a fase vermelha do Plano São Paulo de Combate à Covid-19, nos períodos de 25-27/12/2020 e 31/12/2020-03/01/2021;

2) A fase vermelha impõe sérias restrições à realização de atividades;

A COMEX-AG vem transmitir as seguintes recomendações:

a) Devemos seguir as recomendações tomadas pelo Governo do Estado relativas às igrejas, conforme decisão já tomada pela COMEX-AG de que os decretos estaduais têm prevalência sobre os municipais;

b) Com relação às igrejas, a determinação do decreto 64.881/20 é a seguinte: o Governo de São Paulo recomenda a suspensão de cerimônias, celebrações, missas ou cultos, e não o fechamento de templos e igrejas. A recomendação é para que as cerimônias sejam realizadas pela Internet. Esses locais também podem continuar a receber fiéis para orações e orientação religiosa em formato individual, seguindo regras sanitárias e de distanciamento social para mitigar a circulação do vírus. 

Diante do exposto, até que nova decisão seja tomada pelo Governo do Estado, nos períodos indicados no decreto, recomendamos veementemente que TODAS as IPIs do Estado de São Paulo suspendam as atividades presenciais e realizem os cultos pela Internet. 

Solicitamos também as Comissões Executivas dos Presbitérios que acompanhem a implementação destas medidas, só autorizando nova reabertura para atividades presenciais, quando houver segurança para tal.

Gerson Correia de Lacerda

Secretário Geral da IPIB

Acompanhe outras notícias

CONTATO